quinta-feira, 9 de outubro de 2014

[Livros] Misery, Stephen King

Misery, Stephen King

Paul Sheldon é um famoso escritor de romances cor-de-rosa, tornado célebre pela personagem principal das suas obras, Misery Chastain. Porém, Sheldon entendeu que estava na hora de virar a página e decidiu «matar» Misery. 
É então que sofre um terrível acidente de viação e é socorrido por Annie Wilkes, uma ex-enfermeira que o leva para sua casa para o tratar. O que Paul não sabe é que Annie, a sua salvadora, é também a sua maior fã, a mais fanática e obcecada de todas — e está furiosa com a morte de Misery. 

Ferido e incapaz de andar, totalmente à mercê de Annie, Paul é obrigado a escrever um novo livro para «ressuscitar» Misery, como uma Xerazade dos tempos modernos nas mãos de uma psicopata tresloucada que há muito deixou de distinguir a realidade da ficção. 

Repleto de complexos jogos psicológicos entre refém e captor, Misery é uma obra de suspense e terror no seu estado mais puro.


Nunca tinha lido Stephen King, acreditam? Mas no outro dia passei na Bertrand e, por acaso, acabei por ler a sinopse deste livro. Fiquei super curiosa! E como Outubro é o mês do terror e estava  próximo acabei por o trazer comigo.
A minha edição é a da imagem! É um livro de bolso com uma capa fantástica e custou 9€.
Sabem que mais? Li o livro em 3 dias! 3 dias! É completamente viciante e perturbador ao mesmo tempo. Vocês não querem parar até saber o que acontece a seguir e, por muito angustiante que seja, vocês ficam cada vez mais curiosa. Ouve partes em que precisei parar, respirar fundo e continuar a ler a medo. Mas, no fim, tornou-se um dos meus livros preferidos, juro.
O livro conta-nos a história de Paul Sheldon, um escritor (estilo Nicholas Sparks), muito famoso por causa de uma série de livros em que a personagem principal se chama Misery. Paul acaba por ter um acidente de carro e é socorrido por Annie, que se intitula a sua fã número um. Mas assim que acorda ele percebe que está no meio de um pesadelo. Annie tortura-o lentamente de forma a obrigá-lo a escrever mais um livro da série. Acompanhamos assim a vida do escritor dentro das quatro paredes do seu quarto, num dia a dia angustiante.
O final foi, pelo menos para mim, surpreendente. Juro por tudo que esperava o oposto mas acabou por me surpreender! Agora vou ver o filme com a curiosidade no máximo. 
Já leram este livro?